Sexta-feira, 2 de Março de 2007
Biografia

 

 

O Gomo surgiu em Janeiro de 2001, numa altura em que Paulo Gouveia, ex-elemento dos Orange, decide que está na altura de levar a música mais a sério, investindo em material e num espaço que demorou um ano a ser concluído, ficaram reunidas as condições para se iniciar um projecto que tinha somente como objectivo experimentar novos tipos de sonoridade, que não aqueles explorados pela sua banda anterior.

Mas foi após a compra de um trio de órgãos com alguns anos de experiência, (2 Hammond e um GEM ), abandonados num armazém de mobiliário, que tudo mudou, e a partir desse momento a influência que os seus sons e ritmos tiveram nas composições foi determinante.

Para quem ouça pela primeira vez Gomo, não será difícil perceber que as suas músicas são alegres e bem dispostas, e se der um pouco de atenção a algumas das letras (se bem que cantadas em inglês), perceberá que o humor está sempre presente.

Talvez por esta nova sonoridade se distanciar tanto da que os Orange praticavam, a incerteza quanto à sua aceitação era enorme, mas eis que ao enviar uma maqueta para Henrique Amaro, Nuno Calado (Antena 3) e António Sérgio (Rádio Comercial), o surpreendente aconteceu… em pouco tempo, Gomo estava no ar.

Esta maqueta, datada de Fevereiro de 2001 e com apenas dois temas ( You might ask ” e Bald of Pride ”), passou a rodar insistentemente nos seus programas e foi até sujeita a uma crítica, escrita por Nuno Galopim , no Dn mais. O conteúdo dessa crítica viria a ser determinante, pois chamou a atenção do público mais distraído, para este projecto, ainda embrionário. Estávamos em Março de 2001.

Apanhado um pouco de surpresa por estes acontecimentos, a motivação para continuar a trabalhar aumentou e foi com algum orgulho que o terceiro tema a ser composto, de seu nome Be careful with the train ”, foi um dos escolhidos para fazer parte da colectânea Optimus 2001.

Para aumentar ainda mais a surpresa, Gomo viria a ser convidado para actuar ao vivo nos mais consagrados Festivais de Verão a realizar em Portugal, durante o ano 2001: Vilar de Mouros, Sudoeste e Paredes de Coura. Mas os concertos acabaram por se alargar também ao Festival do Tejo, às FNAC’s do Colombo (Lisboa) e de Santa Catarina (Porto), e finalmente o Palco 6, no Parque das Nações.

Como promoção ao tema Be careful with the train ”, é realizado um vídeo que rodou insistentemente durante o último semestre de 2001 nos canais de televisão por cabo, SIC RADICAL e SOL MÚSICA, tendo este último realizado um destaque, composto por entrevista.

Durante o mês de Novembro o tema it ’s all worth it for the summer ” entra em airplay na nova Antena3 , tendo chegado ao primeiro lugar do top 30 (votação feita pelos ouvintes), durante a segunda semana de Janeiro de 2002.

Em Dezembro de 2001 Gomo compõe o tema Santa’s Depression ”, respondendo a um desafio proposto por Henrique Amaro da rádio Antena3 : criar um tema de Natal, que seria posteriormente apresentado aos ouvintes do programa Rádio Clube.

Em Janeiro o Dn mais considera a maqueta de Gomo a melhor de 2001, e tal como o jornal Blitz e revista Y , admite ser uma das grandes esperanças para o ano de 2002.

Já em Maio de 2002, a Universal lança uma colectânea “Mundial 2002 – CD não oficial”, no qual se inclui o tema “O Ser Português”.

Como promoção a este tema Gomo seria convidado a participar no programa “O Passeio dos Alegres”, apresentado por Júlio Isidro na RTP1 .

Em 2002 Gomo tocou ainda no IPJ de Leiria, no 20º Aniversário do bar Frágil (Bairro Alto - Lisboa), Cerca do Castelo (Óbidos), I Festival da Maceirinha , Festival Sudoeste e, por último Caldas da Rainha.

Para que um concerto nunca seja igual ao anterior, Gomo conta agora com a importante colaboração dos Antidote e Vídeo House Stars , que com a ajuda de alguns projectores vídeo e de slides conseguem criar atmosferas de grande impacto visual, tornando o espectáculo de Gomo, num dos mais singulares jamais apresentados no nosso país.

O primeiro semestre de 2003 foi aproveitado por Gomo para compor os temas que viriam a integrar o seu primeiro disco, de seguida, em Julho de 2003, deslocou-se para os MB estúdios, para juntamente com Mário Barreiros, produzir aquele que agora dá pelo nome de Best of Gomo”, um disco que pretende surpreender todos os ouvintes, desde a primeira à última música. Alegre e divertido, este registo poderá ser escutado por todos os interessados, desde o dia 9 de Fevereiro, em todas lojas da especialidade.

Na semana anterior à edição do seu álbum de estreia, Gomo teve honras de capa no jornal Blitz , no suplemento DN mais e ainda no suplemento Y , mas não se ficou por aí, pois a rádio e televisão rapidamente se renderam às suas músicas e videoclips, sendo este um dos artistas com mais destaque em todos os programas que privilegiam a divulgação da nova música portuguesa. As críticas a Best of Gomo” ultrapassaram as expectativas mais optimistas, sendo este considerado um dos mais sérios candidatos a melhor disco do ano de 2004. As vendas têm reflectido isso mesmo e Best of Gomo” tem-se mantido entre os 30 discos mais vendidos em Portugal, desde o dia do seu lançamento no mercado, o que não é muito normal nos dias que correm.

No que diz respeito aos espectáculos de Gomo em 2004, poderemos dizer apenas que em Fevereiro (mês do lançamento do disco), este projecto encheu o auditório da RDP, num showcase difundido pela Antena 3 para todo o país, e como se isso não bastasse, viria também a ter casa cheia na apresentação oficial de Best of Gomo”, no LUX, no dia 3 de Março. As críticas a esses mesmos espectáculos foram bastante positivas, factor que justificou os mais diversos convites para que Gomo actuasse em dezenas de palcos, um pouco por todo o país.

Se todos os que já escutaram Best of Gomo” se renderam à sua qualidade e originalidade, então porquê esperar mais tempo? O melhor é ver para crer… num palco perto de si!


tags:

publicado por GOMO às 10:29
link do post | comentar

pesquisar
 
tags

todas as tags

links